Pesquisar este blog

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

parábola





em outras eras
lancei-me
subi o quanto pude
projétil e palavra
a esmo
sem ter-me

e divaguei na
vertigem vazia
da queda

qual pedra
ao encontrar
o solo

quebrei-me
em mil
para estar
no centro

e o repuxo
fez-me inércia
que na descoberta
sempre pede
a dor
do chão!


(ilustração de minha autoria)

Um comentário:

Samuel Giacomelli disse...

Muito boas! A poesia e a ilustração!