Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

sei de meus calos



















mesmo na revolta da chuva
ela quem faz barulho
sufoco-me em silêncio
em minha solidão adulta
no crime da conveniência
sou boneco de ventríloquo


enterrei os corpos
de minhas bonecas infantis
e virei cada uma delas
sem sentimento,
sem fala,
usada e esquecida
sob sete palmos de chão.

2 comentários:

pliniocamillo disse...

Certeiro!!!

Glauber Vieira disse...

Pois é, o texto é instigante, fico aqui imaginando o que aconteceu com a personagem.