Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de abril de 2009

minhas horas cinzas curvam-se


minhas horas cinzas curvam-se
diante de tuas palavras
não sei se dilacerantes ou sábias
beijam minha face
apoderam-se de meus ouvidos
tomam a quietude que me resta
afagam-me violentas
no gozo do entendimento
e diluem-se no ar
mas ecoam aqui
em meu peito arfante
até quando me acalentarão
e serão suficientes
para apagar as dores da falta?

4 comentários:

Antonio Celso disse...

Lindo poema, dos que nos faz sentir cada palavra dita. Adorei o Blog como um todo. Parabéns!

Célia Romera disse...

O blog é maravilhoso!
Adorei todo o trabalho de Larissa Marques, fantástico.

Sou tua fã! rsss

beijos com carinho

Célia.

Gláucia Carneiro disse...

Tem como ser transformada em uma peça teatral, é a idéia de um roteiro para monólogo.
Excelente!

Danilo Fernandes disse...

Nossa Adorei!

Vi seu link no blog de uma amiga e vim conhecer. Gostei muito. Vou segui-lo. Aproveito para apresentar o meu blog o Genizah e recomendar uma visita.

Tudo de bom!


Danilo

http://genizah-virtual.blogspot.com/