Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de julho de 2011

amado meu



















se as noites frias
apagarem nosso passado
saiba que ainda
há o que queimar

o fogo arde ainda
em meus olhos tardios
que anseiam os seus
tão vencidos

não desisto da falta de lirismo
na verdade a ausência
por vezes me inspira
aqui não perduram
declarações de amor

a insistência vive
apenas para buscar
o que encontramos
quando nos vestimos
de nós mesmos.

2 comentários:

Celso Mendes disse...

paixões nunca morrem. guardam-se para que não nos queimem. mas, cada uma em seu esconderijo, permanecem conosco.

lindo, Larissa!

beijo.

A Mina do cara! disse...

Muito bonito!

acabei de avistá-la no Bar do Escritor. Gostei.

um beijo